Empréstimo Pessoal para Autônomos

Dicas para Empréstimo Pessoal para Autônomos, saiba como solicitar um empréstimo pessoal sem a comprovação de renda formal de um emprego no regime da CLT

Acordar todos os dias cedo para ar ao trabalho não é fácil, fadiga e um longo trajeto até o emprego fazem parte da grande maioria dos trabalhadores brasileiros. Por isso 10 entre 10 trabalhadores assalariados sonham em ter a sua própria empresa ou serem autônomos, para assim poder ser o seu próprio chefe e fazer seus próprios horários. Infelizmente o que a grande maioria dos trabalhadores não sabe, é que ser autônomo é difícil, existem inúmeras restrições que os trabalhadores contratados no regime da CLT não enfrentam, um dos maiores problemas de ser um autônomo é na hora da comprovação da renda. Quem trabalha “fichado” em uma empresa só precisa exibir o contracheque para comprovar a renda, mas o trabalhador autônomo não possui esse tipo de liberdade, por isso sofre na hora de conseguir um empréstimo pessoal.

Poucas empresas no mercado oferecem o serviço de empréstimo para autônomos, isso acontece pois o trabalhador sem carteira assinada é visto como informal, e os riscos envolvidos ao se emprestar dinheiro para esse tipo de pessoa é alto. Geralmente as poucas empresas que oferecem o serviço cobram taxas e juros extremamente altos, pois os riscos envolvidos na operação também são altos. Infelizmente como as opções desse tipo de trabalhador são diminutas, eles acabam se submetendo a esse tipo de taxa.

Empréstimo Pessoal para Autônomos

Atualmente apenas alguns bancos como o cacique e o Bonsucesso oferecem essa modalidade de empréstimo, o convencional é o empréstimo consignado, aquele que é descontado diretamente da folha de pagamento de servidores públicos e aposentados. Uma forma dos trabalhadores autônomos conseguirem empréstimos com melhores taxas, é recorrer a um contador e criar um documento chamado Decore, esse documento possui o mesmo valor de um contracheque, por isso os bancos o aceitam formalmente como comprovante de renda e consequentemente o trabalhador consegue melhores taxas de juros ao solicitar um empréstimo pessoal.

Infelizmente recentemente o Decore se banalizou, muitos trabalhadores/contadores criavam esse documento sem a mínima preocupação com a real veracidade dos dados ali presentes. Contadores cobravam taxas para assinar o documento e pessoas físicas que nem sequer tinham um emprego conseguiam comprovar uma renda irreal. Por isso muitos bancos como o Bradesco, Itaú e outros, não aceitam de bom grado esse tipo de comprovante. Isso apenas dificultou a vida do trabalhador autônomo, que agora precisa além do documento (Decore), um extrato bancário com todas as movimentações dos últimos três meses, afim de comprovar a renda e conseguir um empréstimo.

Porém mesmo com a comprovação da renda, as taxas são altas se comparados com o consignado. Uma dica é sempre pesquisar em diversos bancos e assim encontrar o estabelecimento com a menor taxa de todas. Deixe claro que você esta fazendo uma cotação, se possível mostre os valores que os outros bancos estão cobrando, pois isso vai estimular o vendedor a te conseguir uma taxa de juro mais baixa. Geralmente os vendedores recebem uma comissão, e essa comissão depende do valor da taxa de juro que ele consegue, quanto maior o juro que ele lhe vender o empréstimo, maior é o lucro dele. Por isso se você “chorar” bastante na hora de solicitar o empréstimo, o vendedor vai preferir ganhar pouco mas fechar uma venda do que não ganhar nada.

Vale lembrar que essa modalidade de empréstimo SEMPRE possui juros altíssimos, por isso antes de recorrer a um banco e solicitar dinheiro como pessoa física e ainda por cima um autônomo, tente com um amigo ou conhecido que trabalhe para o governo ou seja aposentado que realize um empréstimo consignado para você. As taxas de juros são muito melhores.

Atualizado em: 29/10/2013
  • Esta dica foi útil para você?
  • Recomendar
  • Não recomendar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *